quinta-feira, 1 de março de 2018

Clientela indesejada

Sentado num café do bairro, olho à minha volta e vejo milhentos estudantes.
Nunca percebi este pessoal que vem para os cafés para estudar.
Eu nunca o consegui fazer. Nos meus tempos de faculdade íamos para o Espaço Ágora até às tantas da manhã fazer trabalhos. Mas eram trabalhos práticos, que não exigiam grande concentração.




Fico sempre a reparar nesta gente e o quão concentrados estão.
Ou não estão.
A menina ao meu lado tecla no Messenger, o casal de rapazes em frente a mim sublinham, falam, leem três parágrafos, falam, viram a página, falam, escrevem, falam; o grupo de amigas mostram as unhas umas às outras; e ali ao fundo uma miúda punk dorme em cima dos livros.
Esta gente para além de não dormir como deve ser - vai para casa miúda punk!!, para além de não estudarem nada de jeito, ocupam os lugares aos outros e empatam os negócios.
E ficam lá horas e horas.
A beber um cafézinho.
E um copinho d'agua.

Se o café fosse meu cobrava à hora e punha cartaz na porta a dizer:

"Admissão a clientes iletrados"

3 comentários:

  1. No Espaço Ágora ?!!! Xiii... aquilo era uma grande barulheira. Nunca consegui lá fazer nada.
    Nós ficávamos na faculdade à las tantas ... e tantas ... e tantas ... :(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas eu no Ágora só fazia trabalhos praticos. E sim, era um bordel.
      Mas era tão engraçado ao mm tempo.

      Eliminar
  2. Existem cafés no Porto onde já afixaram avisos de proibição relativamente ao estudo dentro das instalações. Estudo esse que mais não seria do que passear os livros e ocupar espaço.

    ResponderEliminar

Em reunião

e a avisar o chefe de que ele tem uma notificação do Grindr a piscar.