sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Memória

E a última vez que estive por aqui foi com minha mãe em coma.
Foram 15 dias dolorosos.
Saiu daqui, foi para psiquiatria do Egas Moniz.
Da psiquiatria foi para nossa casa um mês.
Foi um mês terrível.
Era uma outra mãe. Fugia de casa e insultava tudo e todos, acordava de noite aos berros com sacos na cabeça, fazia necessidades onde lhe calhava. 
Ele fazia tudo por ela. 
Ela insultava-o. 
Eu chorava.
E eu sem saber no que aquilo ia dar.
Porque as doenças psiquiátricas não são doenças. São síndromes. 
Não se sabe a razão nem a cura.
Começou a melhorar, foi para casa dela, e durante um ano não era a minha mãe.
Ia fazendo a vida dela, independente, mas era outra pessoa.
Outra personalidade.
Outros defeitos. 
Outras qualidades.
Ia sempre sendo seguida por uma equipa fantástica do Egas Moniz de endocrinologista, psiquiatra e neuropsicologo. 
Agora, quase três anos depois está como nunca esteve na vida.
Equilibrada, saudável.
Feliz.
Tudo isto porquê?
Teve uma simples gastroentrite. 
Os níveis de sódio potássio cálcio foram ao mínimo e provocaram alterações neurológicas.
Cuidado com o que comem.
Ela comeu cerejas a mais. 
;)

1 comentário:

  1. Vai fazer agora dois anos que a nossa Avó começou com alucinações, deixou de nos reconhecer, pensámos o pior, mas depois descobriram que tinha sido uma medicação a baixar o valor do sódio (o tónio, como ela dizia!). Foram apenas alguns dias, mas foi horrível, nem quero imaginar esses tempo todo... felizmente tudo melhorou. Beijinhos

    ResponderEliminar

Tom of Finland Trailer