quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Populismos e snobismos

À mesa com amigos, contava que tinha estado no Leroy Merlin, e que à minha frente estava o António Costa (para os leitores Brasileiros o nosso 1º ministro) na fila a comprar umas tretas.
Os meus amigos, ficaram muito indignados, pois num dia de semana devia estar a trabalhar para o país,
Respira...
e que se não tinha tempo que enviasse um motorista.
Respira fundo, Anfitrião...

A primeira afirmação tresanda a  populismo fácil.
O senhor trabalha e muito de certeza, quer se goste ou não da cor política, quer faça bom ou mau trabalho.
Segundo, tal como qualquer trabalhador terá os seus horários a cumprir, e vai naquele dia até tinha tirado folga. E daí? E quem disse, que depois ele não ia trabalhar até às tantas?

Terceiro, passamos a vida a falar mal dos 700.000 funcionários públicos que não fazem cú, mas sua excelência o digníssimo primeiro ministro não pode sujar a unhaca no Leroy na secção de tintas e deveria enviar um motorista que todos nós pagamos para lhe fazer o servicinho...

Poupem-me pah!



4 comentários:

  1. Ahahahaha! A do motorista matou-me.

    Ainda são do tempo do trabalho das 9.00 até às 18.00 ...

    ResponderEliminar
  2. Preso por ter cão, preso por não ter, se tivesses dito que era o motorista que lá estava diriam que era um mau uso do dinheiro dos contribuintes.

    ResponderEliminar
  3. Portugal (não sei quanto ao resto mas, pelo menos Portugal) é o país em que as pessoas não podem nem devem estar bem ou num bom cargo. Tuga que é tuga é coitadinho. Tuga que não é coitadinho não merece ter vida que não seja para uma de duas coisas: trabalhar para os coitadinhos ou acoitadinhar-se.

    Deixem lá o senhor ir às compras, que se calhar é o pouco tempo que tem de vida normal.

    ResponderEliminar

Santorini 2